fbpx
Pesquisar

4024/1106 – GESTÃO DE CRISES E DESASTRES NATURAIS E TEMAS RELEVANTES

Desastres Naturais, Fiscalização e Controle Parlamentar, Fiscalização da Execução de Programas e Projetos, Sindicância, Redação e Competência Legislativa, Protocolo e Atendimento ao Público, Liderança e Feedback, Temas Relevantes.

Data de início:

11/06/24

Data de Conclusão:

14/06/24

Objetivos deste treinamento

Metodologia

A metodologia do curso é presencial, com aula expositiva e debates. Essa abordagem permite uma compreensão aprofundada dos temas

Investimento

R$1090,00

Carga Horária

Este curso tem duração de 17h aula, e será emitido certificado ao final do treinamento para quem cumprir mínimo de 75%. Os participantes do curso recebem certificado de participação. Nossos certificados podem ser usados para comprovação de horas extra curriculares em faculdades e cursos.

Programação

Terça-Feira:
11h:00min – Credenciamento
14h – 17h: Turno de Aula

Quarta-feira:
09h – 11h:50min: Turno de Aula
14h – 17h: Turno de Aula

Quinta-feira:
09h – 11h:50min: Turno de Aula
14h – 17h: Turno de Aula

Sexta-feira:
09h – 11h: Turno de Aula
11h: Entrega do Certificado.

Dados de Empenho

INLEGIS – Consultoria e Treinamento
CNPJ: 30.050.141/0001-80. INSCRIÇÃO MUNICIPAL:608.267.2.0
ENDEREÇO: Rua Jerônimo Coelho, 354, centro, Porto Alegre
EMAIL: financeiro@inlegis.com.br FONE: 51-3015-5809

Público Alvo

Interessados no tema em geral: Prefeito, Vice-Prefeitos e interessados em geral, Presidentes de Câmara, Vereadores, Assessores, Servidores, Agente Administrativo Legislativo, Chefes de Gabinete, Contadores, Tesoureiros, Técnicos Legislativos, Diretores de Departamento, Diretores de Câmaras, Secretários Municipais, Comissão de Orçamento, Prefeituras e Câmaras, Comissão de Licitação, Pregoeiro, Departamento de Compras, Departamento de Pessoal, Procuradores Jurídico, Secretaria de Administração, Controle Interno, Assessoria de Imprensa, Oficial de Gabinete, telefonista, recepcionista, atendimento ao público, técnico de informática e setor de informática, técnico em contabilidade, Atendimento Procons Municipais, Serviços Gerais e demais profissionais interessados no tema.

Temas Debatidos no Treinamento

EMERGÊNCIA AMBIENTAL SISTEMA DE COMANDO DE INCIDENTES (SCI); AÇÕES DE CONFINAMENTO; AÇÕES DE CONTENÇÃO; MÉTODOS BÁSICOS DE CONTROLE; DEFINIÇÃO DE ZONAS DE ATENDIMENTO EM EMERGÊNCIA.

SISTEMA DE COMANDO DE INCIDENTES (SCI)

ESTRUTURA E FUNÇÕES DO SCI

COORDENAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO SCI

IMPLEMENTAÇÃO DO SCI EM DIFERENTES CENÁRIOS

AÇÕES DE CONFINAMENTO

TÉCNICAS DE CONFINAMENTO

EQUIPAMENTOS UTILIZADOS NO CONFINAMENTO

PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DURANTE CONFINAMENTO

AÇÕES DE CONTENÇÃO

MÉTODOS DE CONTENÇÃO

USO DE BARREIRAS FÍSICAS E QUÍMICAS

EXEMPLOS PRÁTICOS DE AÇÕES DE CONTENÇÃO

MÉTODOS BÁSICOS DE CONTROLE

CONTROLE DE INCÊNDIOS E INUNDAÇÕES

GESTÃO DE CONTAMINAÇÕES QUÍMICAS

TÉCNICAS DE DESCONTAMINAÇÃO

DEFINIÇÃO DE ZONAS DE ATENDIMENTO EM EMERGÊNCIA

CRITÉRIOS PARA DELIMITAÇÃO DE ZONAS

SINALIZAÇÃO DE ÁREAS DE RISCO

ESTABELECIMENTO DE ÁREAS SEGURAS E DE ISOLAMENTO

Instrutor

Jorge Augusto Berwanger Filho

Empregado público estadual da Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luis Roessler (FEPAM), desde 2011, ocupa o cargo de chefe da Divisão de Licenciamento (DL) e é plantonista da Divisão de Emergências Ambientais (DEAMB). Graduado em Engenharia Ambiental, especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho e pós graduado em Gestão de Riscos e Emergências Ambientais. Além disso, possui mestrado em Engenharia Civil, área de concentração: Gerenciamento de Resíduos, e é professor universitário convidado de curso de especialização.

CURSO AVANÇADO DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE LEI: DOMINANDO AS TÉCNICAS DE REDAÇÃO DE LEIS E O PROCESSO LEGISLATIVO MUNICIPAL:

CURSO AVANÇADO DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE LEI: DOMINANDO AS TÉCNICAS DE REDAÇÃO DE LEIS E O PROCESSO LEGISLATIVO MUNICIPAL:

 

CONTEXTUALIZAÇÃO / INTRODUÇÃO:

A importância da Legislação em uma sociedade democrática e a função dos Vereadores no processo.

 

A ESTRUTURA DOS PROJETOS DE LEI E O PROCESSO LEGISLATIVO:

 

COMO UM PROJETO DE LEI DEVE SER ESTRUTURADO:

Epígrafe, ementa e preâmbulo;

Partes, títulos e capítulos;

Artigos, parágrafos, incisos, alíneas e itens;

Cláusulas de vigência e de revogação.

 

TÉCNICAS DE REDAÇÃO DE LEIS:

Como redigir uma lei de forma clara e precisa;

Emprego de linguagem técnica e jurídica;

Como evitar ambiguidades e interpretações equivocadas.

 

TÉCNICAS DE ALTERAÇÃO DE LEIS:

Como incluir um artigo em uma Lei;

Como incluir parágrafos, itens e alíneas em uma Lei;

 

JURISPRUDÊNCIA ATUALIZADA SOBRE CONFLITOS DE COMPETÊNCIA LEGISLATIVA – UNIÃO X MUNICÍPIOS

Instrutor

Thais Krahn

Auditora Pública Externa do TCE/RS, formada em Ciências Jurídicas e Sociais pela UFSM, Especialista em Direito Tributário pela UFRGS, Chefe da Consultoria Jurídica da Metroplan - Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional, Assessora Jurídica, Diretora do Departamento de Licitações e Contratos, Diretora-Geral e Secretária de Gestão Administrativa e Modernização do Município de Canoas/RS, com larga experiência em Assessoria e Consultoria Jurídica em Direito Constitucional, Direito Administrativo e Gestão Pública.

ORIENTAÇÕES PARA A CORRETA REALIZAÇÃO DE SINDICÂNCIAS:

 

ORIENTAÇÕES PARA A CORRETA REALIZAÇÃO DE SINDICÂNCIAS:

 

VISÃO GERAL:

Conceito e finalidade da Sindicância;

Conceito e finalidade do Processo Administrativo Disciplinar (PAD);

Conceito e finalidade do Processo Administrativo Especial (PAE);

Principais diferenças entre Sindicância e PAD;

Principais diferenças entre Sindicância e PAE.

 

O PAPEL DOS GESTORES NA APURAÇÃO DE INFRAÇÕES E IRREGULARIDADES

 

PRINCÍPIOS BÁSICOS QUE DEVERÃO SER OBSERVADOS NA SINDICÂNCIA, NO PAD E NO PAE

 

SINDICÂNCIA:

 

TIPOS DE SINDICÂNCIA:

Investigativa, preparatória ou inquisitória;

Acusatória, punitiva ou contraditória;

Patrimonial.

 

FASES DA SINDICÂNCIA:

 

INSTAURAÇÃO DA SINDICÂNCIA E DESIGNAÇÃO DA COMISSÃO DE SINDICÂNCIA OU SINDICANTE:

Autoridade competente para a instauração;

Meio / instrumento adequado para a instauração da Sindicância e a designação dos membros da Comissão de Sindicância ou Sindicante;

Definição do objeto da Sindicância;

Requisitos, impedimentos e suspeições para compor a Comissão de Sindicância ou Sindicante;

Atribuições da Comissão de Sindicância ou Sindicante;

 

PRAZOS:

Definição do prazo para conclusão dos trabalhos da Comissão de Sindicância ou Sindicante;

Contagem do prazo;

Prorrogação e sobrestamento do prazo.

 

INSTRUÇÃO PROCESSUAL / INQUÉRITO ADMINISTRATIVO / COLETA DE PROVAS, DEFESA E RELATÓRIO DA COMISSÃO DE SINDICÂNCIA OU SINDICANTE

 

SOLUÇÃO / DECISÃO / JULGAMENTO DA AUTORIDADE COMPETENTE:

Prazo;

Possíveis resultados da Sindicância.

 

PENALIZAÇÕES CABÍVEIS EM SINDICÂNCIA

Instrutor

Caroline Turri

Advogada formada pela PUC/RS, Especialista em Direito Público pela ESMAFE e em Direito Eleitoral pelo Verbo Jurídico, com experiência e atuação em Consultoria nas áreas de Direito Administrativo, Cível, Empresarial, Bancário e Eleitoral. Iniciou sua carreira no Escritório Campos Garcia, onde atuava na área de Direito

FISCALIZAÇÃO E CONTROLE PARLAMENTAR: INTRODUÇÃO AO CONTROLE PARLAMENTAR

FISCALIZAÇÃO E CONTROLE PARLAMENTAR:

REGIME REMUNERATÓRIO:

FIXAÇÃO E ALTERAÇÃO DA REMUNERAÇÃO;

REVISÃO GERAL ANUAL;

ISONOMIA REMUNERATÓRIA;

VINCULAÇÃO E EQUIPARAÇÃO DE VENCIMENTOS.

INTRODUÇÃO AO CONTROLE PARLAMENTAR:
Definição e importância do controle parlamentar;
Tipos de controle parlamentar -financeiro, político e administrativo;
O papel do Poder Legislativo na separação de Poderes.

MECANISMOS DE FISCALIZAÇÃO FINANCEIRA
Auditorias parlamentares e suas finalidades;
Comissão de Orçamento e Finança;
Análise de orçamentos e relatórios financeiros.

COMISSÕES DE INQUÉRITO E INVESTIGAÇÃO PARLAMENTAR
O poder de convocação e investigação do Poder Legislativo;
Limitações e ética nas investigações parlamentares.

CONTROLE POLÍTICO E DEBATE PARLAMENTAR
Debates parlamentares como ferramenta de controle político;
Monitoramento e requerimento de informações ao Governo.

CONTROLE EXTERNO E AUDITORIAS INDEPENDENTES
A importância de auditorias externas independentes;
Colaboração entre Órgãos de Controle Externo e Parlamentar.
A relação entre o Tribunal de Contas e o Poder Legislativo;
Apontamentos, julgamentos e pareceres prévios do Tribunal de Contas.

FISCALIZAÇÃO DA EXECUÇÃO DE PROGRAMAS E PROJETOS
Avaliação de políticas públicas e programas governamentais;
Medição de resultados e impacto;
Monitoramento da eficiência e eficácia.

Instrutor

Edison Imar Oliveira Mello

Auditor Aposentado do TCE-RS, Economista, Professor Universitário. Consultor de INLEGIS

LIDERANÇA E FEEDBACK NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MUNICIPAL:

LIDERANÇA E FEEDBACK NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MUNICIPAL:

 

CONCEITO DE LIDERANÇA: QUAL O SEU IDEAL DE LIDERANÇA?

 

O PAPEL DO LÍDER NA INSTITUIÇÃO E QUAIS COMPETÊNCIAS SÃO NECESSÁRIAS AO EXERCÍCIO DESSE PAPEL

 

AS RELAÇÕES ENTRE LÍDER E LIDERADO EM UM DETERMINADO CONTEXTO

 

CONTEXTO INSTITUCIONAL, CULTURA E SUBCULTURA NO PODER PÚBLICO

 

A CULTURA DAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS E A GESTÃO POLÍTICA GOVERNAMENTAL

 

CARACTERÍSTICAS DE UM SISTEMA COM ESTRUTURA SAUDÁVEL / FUNCIONAL

 

DIMENSÃO INTERPESSOAL ÀS HABILIDADES DE INTERAÇÃO E COMUNICAÇÃO

 

PROCESSO DE INTERAÇÃO

 

PERCEPÇÃO, AUTOPERCEPÇÃO, PERCEPÇÃO DO OUTRO E EMPATIA

 

O SER HUMANO, SEUS COMPORTAMENTOS E SUAS ATITUDES

 

A MOTIVAÇÃO E O INDIVÍDUO – COMPORTAMENTO, NECESSIDADES E MOTIVOS DE FRUSTRAÇÃO

 

AS REAÇÕES GENERALIZADAS DE FRUSTRAÇÃO E OS SEUS IMPACTOS NOS SERVIDORES

 

TIPOS DE EMPATIA

 

LIDERANÇA NARCISISTA EM UM AMBIENTE ORGANIZACIONAL TÓXICO E PATOLÓGICO

 

EMPATIA E LIDERANÇA EMPÁTICA

 

UM GRUPO PODE SE TORNAR UMA EQUIPE CONFORME HABILIDADES DO ADMINISTRADOR?

 

COMO DESENVOLVER EQUIPES DE TRABALHO

 

CARACTERÍSTICAS DAS ESQUIPES COM MELHOR PERFORMANCE

 

A LIDERANÇA ASSERTIVA E OS RESULTADOS DE UMA GESTÃO

 

DIMENSÃO INTERPESSOAL E O FEEDBACK

 

TIPOS DE FEEDBACK

 

RETORNO DO FEEDBACK E AS REAÇÕES PESSOAIS

 

PRINCÍPIOS PARA UM FEEDBACK ASSERTIVO

 

METODOLOGIA DO FEEDBACK – PASSO A PASSO

Instrutor

Cleber Nascimento

Oficial de Controle Externo TCE, Possui graduação em Administração pela Faculdade Porto Alegrense de Ciências Contábeis e Administração (1990) e segunda formação em Ciências Contábeis pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2004).

NOVO! PROTOCOLO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

 

PROTOCOLO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

 

IMPORTÂNCIA DO PROTOCOLO COMO INSTRUMENTO DE ORGANIZAÇÃO E CONTROLE DOCUMENTAL NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

 

ATENDIMENTO AO PÚBLICO:

Recebimento dos cidadãos no Protocolo: postura e cordialidade;

Identificação das demandas dos usuários e orientações sobre os procedimentos a serem seguidos;

Recebimento de documentos.

 

PROCEDIMENTOS PARA RECEBIMENTO E REGISTRO DE DOCUMENTOS:

Verificação da documentação: integridade, completude e conformidade com os requisitos legais;

Formalidades do Protocolo.

 

PADRONIZAÇÃO DE FORMULÁRIOS E MODELOS DE PROTOCOLO:

Numeração de protocolo e controle de entrada e saída de documentos;

Prazos e tramitação interna dos documentos protocolados;

Resposta aos cidadãos.

 

FLUXO DE TRAMITAÇÃO DOS DOCUMENTOS PROTOCOLADOS:

Prazos legais para resposta e comunicação aos interessados;

Orientações sobre como fornecer informações claras e objetivas aos cidadãos.

 

 

FERRAMENTAS E ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO

 

RELACIONAMENTOS A SEREM ESTABELECIDOS PELA ASSESSORIA DE IMPRENSA OU COMUNICAÇÃO:

Relações com jornalistas e veículos de comunicação;

Preparação de releases e notas para a imprensa.

Instrutor

Valéria Saraiva

Graduada em Comunicação Social com ênfase em Publicidade e Propaganda pela UFRGS, Pós- Graduada em Gestão de Vendas e Relacionamento com o Cliente. Presta Consultorias e Mentorias nas áreas de Marketing, Vendas, Gestão e Relacionamento com Clientes e Públicos. Experiência de mais de 15 anos em médias e grandes empresas do Brasil, como Grupo O Boticário e Grendene, com atuação nas áreas de Gestão Estratégica de Marketing, Comunicação e Vendas.

Nossos Cursos